terça-feira, 17 de setembro de 2013

46ª sessão: Fabio Fiedler aborda o programa Bolsa Família

Na tarde de terça-feira (17) o vereador Fábio Fiedler (PSD) falou sobre a reportagem publicada neste final de semana pela revista Veja, o assunto era os dez anos do programa Bolsa Família. Fiedler disse que muito criticam da boca pra fora; e outros elogiam pela questão partidária; e que poucos analisam os números.
O parlamentar lembrou que o projeto iniciou quando o Brasil viu a necessidade de fazer transferência de renda para melhorar a condição de vida dos considerados miseráveis, que era quem vivia com menos de R$70,00 mensais. “Algumas ações foram feitas no governo Fernando Henrique Cardoso. Quando o Lula assumiu a presidência, unificou estas ações e criou o Bolsa Família”, afirmou.
De acordo com a reportagem, em 2003, no início do programa, eram atendidas 3,6 milhões de famílias. Hoje, dez anos depois, são 13,8 milhões que recebem, em média, R$149,00 por pessoa. Sendo assim, serão R$25 bilhões em transferência de renda. “Um quarto da população brasileira recebe o Bolsa Família”, lembrou Fiedler.
Fiedler observou também que mais de 50% das pessoas que entraram no início do programa, permanecem até hoje. “Tem uma porta de entrada grande, mas não mostra a porta de saída. E já está na segunda geração de dependentes. Os que eram crianças e adolescentes quando começou o programa já estão recebendo o auxílio”, afirmou, ressaltando que não se pode deixar a pessoa recebendo o beneficio por tanto tempo.
“Isto é petrificação da miséria. Temos que trabalhar as alternativas de saída. Empregar e qualificar as pessoas. O Pronatec, por exemplo, tem que ser ampliado”, sugeriu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário