quinta-feira, 29 de agosto de 2013

42ª sessão: Fabio Fiedler fala sobre o programa Mais Médicos

Na tarde desta quinta-feira (29) o vereador Fábio Fiedler (PSD) acusou o governo federal de deixar que os médicos cubanos que chegaram ao Brasil, para participar do programa “Mais médicos” sejam explorados pelo governo cubano. Fiedler disse ser a favor do programa, porem não concorda que os médicos recebam apenas R$700,00 dos R$10 mil que serão pagos aos profissionais.
“No meu ponto de vista, é uma das mais perversas ações do governo federal, tratando de terceirização e quarteirização de serviço público. Os médicos estão vindo para cá com salário de R$ 10 mil. No caso dos cubanos, eles vão receber R$ 700,00. Outros R$ 2,3 mil ficam com as famílias deles em Cuba, para garantir que não abandonem a ditadura do país. O restante vai para o governo de Cuba. Ao longo dos três anos do contrato, serão mais de R$ 1,2 bilhão para sustentar a ditadura cubana”, argumentou.
Para o parlamentar, o contrato feito entre Brasil e Cuba vai criar escravos. Fiedler também criticou a não participação desses profissionais no Revalida. “Não é porque os médicos cubanos não querem fazer o revalida, é por imposição da ditadura de Cuba”, afirmou, apostando que a falta de médicos em muitas regiões do Brasil é porque não tem estrutura para se trabalhar. “O governo precisa investir mais na saúde e valorizar o SUS”, indicou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário